domingo, 21 de maio de 2006

La Torloni versão Regina Duarte



"Nós vamos ter um enfrentamento grave. Vocês se preparem." (Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, maio de 2006)

O presidente Lula fez o alerta, e muita gente imagina que ele está sendo apocalíptico. Ainda existe quem acredite que a oposição descarregou todos os seus cartuchos e daqui pra frente vai apenas requentar a bóia morna ou malhar em ferro frio. Ela armou a barraca, mas o circo mambembe vai continuar seu espetáculo deprimente em diversas modalidades golpistas. Os novos nacionalistas da moralidade ainda vão soltar muito gás, e suas flatulências vão abastecer o golpe ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Acabei de receber uma “Convocação do Povo Brasileiro”:

“Dia 21 de maio, daremos resposta àqueles que acreditam que a Nação está calada e passiva diante dos escândalos políticos que violentam nossas Almas!”

Lendo este primeiro parágrafo do panfleto eletrônico, imaginei que esta seria uma boa oportunidade para darmos uma resposta aos corruptos, através de uma grande mobilização, na qual a gente possa manifestar nosso repúdio a esses canalhas que, há décadas, se apossam das nossas riquezas através de assaltos aos cofres públicos. Acho que os melhores lugares para fazer esse tipo de protesto, hoje, é o Congresso Nacional e as carceragens da Polícia Federal.

No Congresso, lotaríamos as galerias e diríamos para aquela cambada formada por velhas raposas políticas, hoje posando de vestais da moralidade, que eles já não enganam ninguém. Jogaríamos na cara daqueles malandros engravatados toda a história da corrupção brasileira, da qual são legítimos representantes. E nas carceragens da Polícia Federal, poderíamos fazer um trabalho muito parecido com o que os religiosos costumam fazer nos presídios: “evangelizar” as centenas de corruptos que foram pegos ultimamente com a mão na botija e estão estocados, à disposição da Justiça.

No governo Fernando Henrique Cardoso, a Polícia Federal passou por um período de quase hibernação, não passava de um órgão expedidor de passaporte e foi entregue ao atual governo em estado falimentar, sem verba para o custeio de luz, água, telefone e viagens. Duas regionais da Polícia Federal receberam notificação judicial devido ao atraso de pagamento de aluguéis e ficaram sujeitas a ação de despejo.

Desde que o governo de Luiz Inácio Lula da Silva se instalou, quase duas centenas de operações especiais foram desencadeadas pela Polícia Federal. Claro que a primeira providência deste governo foi reequipar suas instalações e reforçar seus quadros (praticamente dobrou o efetivo), além de promover formação, treinamento, especialização e reciclagem dos policiais. A nova reestruturação do órgão conta com uma diretoria específica, na qual estão incluídas ações de repressão à lavagem de dinheiro, tráfico de armas, crimes contra o patrimônio, financeiros e relacionados a entorpecentes. O resultado é este: nunca, em qualquer época da nossa História Republicana, ocorreu fato tão significante, em termos de ações do Estado, no sentido de moralizar as instituições públicas e combater o crime organizado.

Os dados a seguir foram copiados do site do Consultor Jurídico (*):

“Entre os anos de 2000 a 2005, as ações da Polícia Federal no combate ao crime cresceram 815%. Durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Polícia Federal realizou 183 operações e 2.961 prisões — uma média de 987 presos por ano. Já nos dois últimos anos do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, foram realizadas apenas 20 operações, com a prisão de 54 pessoas, ou seja, uma média de 27 capturas por ano. O balanço foi divulgado pelo Ministério da Justiça.”

Quer dizer, se incluirmos estes cinco primeiros meses de 2006, sem dúvida os números se alteram consideravelmente, crescem. Basta acompanhar a Operação Sanguessuga e as buscas e apreensões nos casos dos fraudadores das delegacias do trabalho nos estados do Rio de Janeiro e do Pará. As cenas de pessoas que embarcam e desembarcam em viaturas policiais sofreu uma ligeira modificação no visual: não faz muitos anos, os casos se restringiam a alguns traficantes de droga, trombadinhas e eventuais assassinos de classe média. Agora as mesmas cenas se repetem quase diariamente, desta vez no atacado, com assessores de parlamentar, técnicos de secretarias, comerciantes, lobistas e até ex-deputados federais algemados e conduzidos às carceragens. O criminoso pé-de-chinelo, usando bermudão, já não é mais estrela dos noticiários policiais de tevê. Desta vez os meliantes usam ternos Armani ou vestidos de grife.

Continuei a leitura do panfleto:

“Em passeatas simultâneas, marcharemos CONTRA a CORRUPÇÃO e a IMPUNIDADE de nossos políticos que têm envergonhado todos os brasileiros.”

E meus pensamentos logo se concentraram na lista de políticos denunciados pela Operação Sanguessuga, esta que acaba de trancafiar até dois ex-deputados federais. Um deles, Carlos Rodrigues (PL-RJ), renunciou ao mandato ano passado, a fim de escapar da cassação (deve ter-se arrependido), o outro, Ronivon Santiago (PP-AC), é um velho conhecido corrupto acreano, que confessou ter vendido seu voto no caso da emenda constitucional que permitiu a reeleição de Sua ex-Excelência Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP). Na época, lembro-me bem, o jornal Folha de São Paulo publicou reportagem revelando o conteúdo de conversas gravadas entre Ronivon e o também deputado federal João Maia (PFL-AC). No papo dos corruptos, eles deram nomes de outros parlamentares envolvidos com a venda de votos e de governadores e ministros de Estado encarregados de comprá-los. R$200 mil foi o valor da propina que cada um embolsou.

Pensei: é chegada a hora de passar o Brasil a limpo. Essa mobilização vai mexer com essa corja instalada no Congresso. Afinal, a Polícia Federal, além de prender 47 elementos que assaltavam os cofres públicos, aponta 63 deputados federais e um senador, supostamente envolvidos no esquema fraudulento descoberto pela Operação Sanguessuga, esquema esse que se baseava na compra irregular de ambulâncias para prefeitura de diversas cidades.

Novamente me concentrei no panfleto:

“Estas passeatas representam a VOZ de milhões de brasileiros que clamam por JUSTIÇA e PUNIÇÃO para a ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA que se apossou do ESTADO”.

Huuummm... Parece que o foco da manifestação é outro. Desconfiei.

Deixa-me ver se entendo melhor essa convocação contra os corruptos. Foi aí que vi a foto da atriz Christiane Torloni, indicada como musa do movimento. Ao lado, um texto informava:

Christiane Torloni desabafa no programa Mais Você da TV Globo e
retrata um Brasil que parece sem esperança. Nesta excelente entrevista que a atriz Christiane Torloni concedeu ao programa Mais Você, de Ana Maria Braga, quinta-feira passada, dia 27, a atriz diz acreditar que a sociedade brasileira parece estar passando "por um momento de letargia", prestes "a um estado de indignação tão grande" e uma decisão firme de "botar ordem na casa".

Um link orientava que se podia assistir à entrevista da atriz. Cliquei e assisti à entrevista de La Torloni. Eu estava até interessado no que ela vinha explanando; porém, em determinado momento, a moça disse: “Nós tivemos dois governos de Fernando Henrique muito bonitos (!!!)”. Epa!, do que ela está falando?! Não entendi bem, mas, no encerramento do seu papo com Ana Maria Braga, no programa “Mais Você”, da Rede Globo de Televisão, acho que consegui perceber o objetivo da “Convocação”. Foi quando La Torloni disse: “Sabe quando se chega no fundo de um poço... até de um casamento? (...) Eu tenho ouvido muito as pessoas reclamarem (...) Se as pessoas não arregaçarem as mangas e se unirem, não vai acontecer nada. E se não acontecer nada, a gente tem aí uma reeleição pela frente que vai acabar conosco”. Opa! Peralá, Dona Atriz! Governo bonito de Fernando Henrique e medo da reeleição de Lula. Conferi a figura na telinha do monitor: era Christiane Torloni sim, mas na versão Regina Duarte 2006.

Dona Christiane Torloni, a senhora tem certeza de que essa sua passeata é mesmo por JUSTIÇA e PUNIÇÃO?! Se a senhora acha que o governo FHC foi tão “bonito” e por isso está convocando as pessoas para se manifestarem nas ruas contra um governo que está combatendo a corrupção, então deve estar acreditando nessa história de “o maior esquema de corrupção da História”. Está botando fé naquela cambada de senador que acusa o governo Lula, pelo fato de que ele está promovendo o resgate da cidadania de milhões de brasileiros. Acredita que as raposas se regeneraram e por isso merecem retomar o Poder Central.

La Torloni, vou lhe dizer uma coisa, cá pra nós: aqueles políticos babões que cospem seu ódio ao governo Lula, lá na Tribuna do Senado, não se enxergam. Daí eu cheguei à conclusão: corrupto não tem espelho.

(*) http://conjur.estadao.com.br/static/text/43480,1

Qual a sua opinião sobre este assunto?

2 Comentários em “La Torloni versão Regina Duarte”

  • segunda-feira, 05 junho, 2006
    juliano Disse:

    eu amo a regina duarte ela é muito linda.
    meu sonho de criança era ser filho dela mas..
    sei que isso nunca vai ser realizar eu gostaria até de ver ela

    delete
  • segunda-feira, 26 janeiro, 2009
    Mel Disse:

    Apesar do comentário ser tardio, ainda assim acho que ele é pertinente, Christiane Torloni tem toda razão principalmente no que se refere à reeleição.Por cusa dessa bendita reeleição somos acometidos a governantes que só pensam em seus próprios interesses e passam um mandato inteiro, atendendendo a interesses de grupos empresariais e esquecem dos compromissos que assumiram com a população.Parabéns Christiane Torloni!!!

    delete

Postar um comentário

 

Consciência Política Copyright © 2011 -- Template created by Consciência Política --