quinta-feira, 2 de abril de 2009

São Paulo não tem terrenos para o plano habitacional


A Prefeitura de São Paulo não tem terrenos disponíveis para participar do programa habitacional do governo federal lançado na semana passada, batizado de "Minha Casa, Minha Vida". Segundo o secretário de Habitação, Elton Santa Fé Zacarias, não falta interesse da prefeitura de participar do programa, mas o município não tem como entregar terrenos.


"Essa é a grande dificuldade: não temos terrenos públicos disponíveis. Para ter esses terrenos, o município tem de desapropriar", explicou o secretário, ressaltando que seria um processo demorado.

Zacarias relatou que, durante reunião em Brasília, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou que o governo federal iria canalizar os recursos para o programa de construção de residências, deixando outros programas "meio de lado". Entretanto, ele enfatizou que, para resolver o problema habitacional, a capital paulista precisa de mais investimentos em infraestrutura e saneamento. "O município de São Paulo gostaria de mais recursos para esses programas."

"O foco do programa, que é construir casas, não se encaixa exatamente no que São Paulo precisa", avaliou. Ele ressaltou que não interessa à prefeitura construir mais casas em zonas afastadas do centro, como foi o caso de Cidade Tiradentes, pois isso só eleva os custos de transporte para o município.

"As famílias moram em favelas centrais porque não querem morar na periferia. Elas querem estar perto do trabalho, da escola e do hospital", explicou. "O Brasil não é São Paulo. Esse programa deve funcionar bem no Nordeste, no Centro-Oeste. São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília têm características muito peculiares."

Para o secretário, o melhor ponto do programa federal para São Paulo é a facilitação do acesso ao financiamento da Caixa Econômica Federal (CEF). "A conta do Programa de Arrendamento Residencial da CEF não estava andando mais porque os limites eram muito baixos, a conta não fechava para o empreendedor. Com o aumento dos limites, isso deve melhorar", avaliou.

O governo federal estimou que, da meta de 1 milhão de moradias, 176 mil devem ser construídas no Estado de São Paulo. Ontem, o secretário estadual de Habitação, Lair Krähenbühl, calculou que o Estado tem 20 mil moradias licitadas e prontas para serem construídas.

1 Comentários:

  • sábado, 04 abril, 2009
    Miguel Disse:

    ah! Não tem terreno? ...ou está com medo de contribuir para a eleição da Dilma?

    delete

Postar um comentário

 

Consciência Política Copyright © 2011 -- Template created by Consciência Política --