terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

José Serra manda bater, jogar gás pimenta em manifestantes


Policiais militares reagiram ontem com spray de gás de pimenta e golpes de cassetete a uma manifestação que reuniu cerca de 200 moradores de vários bairros da região da Várzea do Tietê, onde fica a Favela Pantanal, alagada há 60 dias. O protesto foi diante da prefeitura da capital.

Inconformados com a demora dos manifestantes para se afastarem da entrada do prédio da prefeitura, no Viaduto do Chá, e de não obedecer a uma linha de isolamento imposta pelo esquema de segurança, PMs dispararam gás pimenta nos manifestantes, inclusive em deputados federais e estaduais, além de vereadores de partidos de oposição ao prefeito Gilberto Kassab (DEM) que apoiavam a mobilização, como PT, PSOL e PCdoB.

O vereador José Ferreira dos Santos (PT), o Zelão, foi ferido no braço esquerdo. Ele disse ter levado dois golpes de cassetete quando se defendeu do policial que mirava sua cabeça.

— Duas pauladas me acertaram.

Queriam me acertar na cara, mas segurei com o braço.

Parece que sentem prazer em agredir — disse Zelão, após ser medicado no serviço médico da Câmara de Vereadores e voltar ao ato contra o prefeito, com um curativo feito no braço.

Major diz que não houve “procedimento letal” O vereador José Américo, presidente do diretório municipal do PT, contou que o deputado federal Carlos Zaratini (PT) também foi agredido com spray de pimenta nos olhos.

— Ele se identificou como parlamentar e o policial disse simplesmente “ah é?”, e mandou gás de pimenta no seu rosto — contou o dirigente petista, que também foi à manifestação.

Américo disse que entrará com uma representação na corregedoria da Polícia Militar para apurar a responsabilidade do comandante da operação.

— Não é possível que a nossa segurança seja feita com policiais despreparados como vimos aqui — protestou.

O major da PM Marcos Antonio Rangel Torres, comandante da operação, disse que na repressão ao protesto não houve “procedimento letal”.

— Houve um acirramento grande. Os policiais não tiveram opção se não usar o gás de pimenta — justificou o major, que não quis informar o número de policiais envolvidos na operação.

Logo após o tumulto, com pelo menos dois feridos — o vereador Zelão e um dos manifestantes, identificado como Renato Silveira Martins, que foi levado a um pronto-socorro com falta de ar —, uma comissão de moradores da Várzea do Tietê foi recebida pelo secretário municipal de Relações Institucionais, Antonio Carlos Malufe.

Prefeito responderá a uma lista de reivindicações Na reunião, de cerca de uma hora e meia, que teve a presença de vários parlamentares, entre os quais o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), ficou decidido que Kassab ouvirá a comissão e responderá à lista de reivindicações protocolada ontem.

Eles querem deixar as casas alagadas e serem alojados em outras moradias de forma definitiva, e que as comportas do Tietê sejam acionadas de forma que evite novos alagamentos.

Nos 15 bairros atingidos pelo problema, moram pelo menos 40 mil pessoas.

1 Comentários:

  • quinta-feira, 11 fevereiro, 2010
    SOS.Política Disse:

    Veja o blog
    SOS.Política.blogspot.com
    para discutirmos política sobre o olhar jovem.

    delete

Postar um comentário

 

Consciência Política Copyright © 2011 -- Template created by Consciência Política --